Apelação ao Povo Democrático e Soberano

Atualizado: Out 13

Quando a mais Alta Instituição, o Tribunal Constitucional, que deveria representar, numas Eleições Presidenciais, o Poder Soberano do Povo português, se dá ao luxo de violar a Lei para não analisar o recurso de candidatura de um cidadão comum e independente, resta-me a mim, como Rogador "Fantasma" de um Candidato "Fantasma", vos dirigir, muito respeitosamente, esta Apelação.


Em circunstâncias que nada facilitam o normal cumprimento das maneiras democráticas, deparamo-nos com um conforto do sistema político português que, na tentativa de fazer passar valores antidemocráticos por democráticos, vai influenciando a opinião pública com base em desinformação.


"Contra o Imposto Político."

Atendendo ao critério da democracia, traduzindo do grego “poder do povo”, somos deparados com verdadeiros canais democráticos que apenas garantem a manutenção dos poderes das elites instaladas. Estas elites carecem de esclarecimento quanto ao panorama democrático. Mas, como cidadão cumpridor e determinado faço da democracia a minha missão e aos meus pares constituintes do povo, faço um apelo.


É incomportável que qualquer que seja o regime democrático, proveniente seja de que nação for, que se retire poder ao povo de forma tão descarada como era até então feito no nosso Portugal.


Como estou empenhado na defesa dos valores pelos quais os portugueses conquistam os corações de estrangeiro que nos visite, venho desmascarar o chamado “imposto político”. Para muitos, a candidatura de Eduardo Baptista fora vista com as lentes erradas. O que acontece quando não temos os óculos corretos é que a nossa visão é deturpada. Esta deturpação foi, sem qualquer tipo de hesitação, aproveitada e fomentada pelas personalidades que se acostumaram a fazer parte da elite.


Antes, gostaria de relembrar que é inconcebível sequer que haja grupos de pessoas, em democracia, que sejam considerados elites, uma vez que a democracia é nada mais nada menos do que o povo constituinte a governar. As elites políticas não se podem acostumar a serem tratadas como tal, pois os que desempenham tais cargos são tão pertencentes ao povo como os que os elegeram e concederam poder para tal. O conceito de democracia pretende dar voz aqueles que, noutros regimes políticos, não a teriam, organizando as necessidades específicas de cada grupo social para que sejam satisfeitas em conjunto. A união faz a força e numa sociedade como a portuguesa este ponto é bastante visível.


"...é inconcebível sequer que haja grupos de pessoas, em democracia, que sejam considerados elites..."

O que venho demonstrar é que quando aparece um cidadão comum que pretende candidatar-se para servir os seus pares, é imposto um preço político, nomeadamente na forma de obrigação à recolha de 7500(!!!) Proposituras dos populares. Ora aqui é flagrante que tal imposto só pode ser suportado por grandes aparelhos partidários que vêem a política como um fim para atingir os seus objetivos próprios e não como um meio para atingir um fim maior, entenda-se a organização e gestão ótima de todos aqueles que integram a sociedade.


"Vivemos em comunidade precisamente porque temos algo em comum. "

O que me une aos meus pares é a vontade de expressar ideias. Ideias estas que terão, certamente, apoiantes e opositores, mas é no espírito livre democrático que as podemos debater. Neste cenário específico a apresentação de ideias é barrada por uma questão burocrática que em nada traduz as ideias dos candidatos. Não desistirei de lutar por uma democracia onde todos possam pelo menos, propor-se a votos para que as suas ideias sejam julgadas, ao invés de meramente se julgar a capacidade de hipotecar ideias em prol de uma recolha interminável de assinaturas. Como lhe foi barrada a possibilidade de se candidatar enquanto portador de ideias, venho apresentar a solução que me parece mais adequada.


Será Ele um Fantasma no boletim de voto?


Há quem o queira classificar desse modo, desfazendo-se de qualquer comentário sobre o que a sua candidatura representa.


Como tal venho transmitir que também os seus votos no boletim compartilharão a sua natureza e deste modo serão Votos em Branco.


Pela saúde da democracia, eu voto Branco Baptista.


Assinado: PADRINHO DE PRATA

208 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo